A Diretoria de Ciência e Tecnologia (S&T) do U.S. Department of Homeland Security (DHS) selecionou hoje 13 empresas americanas e estrangeiras desenvolvedoras de tecnologias para Cidades Inteligentes voltadas à segurança pública. O trabalho de pesquisa e desenvolvimento é focado em sensores prediais, sistemas aéreos não-tripulados, e hubs inteligentes vestíveis ou não, cada um desses combinando comunicações e infraestruturas que ampliem o conhecimento situacional de situações de risco para ação dos oficiais de campo, aumentando a segurança e melhorando as operações de missão crítica.

Os agraciados nesta seleção resultam de uma Chamada para Inovadores lançada no início deste ano pelo programa DHS S&T Smart Cities Internet of Things Innovation (SCITI) Labs. O programa SCITI Labs é focado na rápida comercialização de tecnologias, com os protótipos iniciais das empresas selecionadas já sendo demonstrados no curto prazo. O público interessado inclui as forças de segurança policial e militar, bombeiros, defesa civil, paramédicos, profissionais da área de saúde e outros.

“Estamos entusiasmados em trabalhar com esses parceiros inovadores para rapidamente disponibilizar suas ferramentas para o mercado e beneficiar os agentes de campo e a segurança doméstica,” disse Jeff Booth, gerente do programa Jeff Booth. “Nosso objetivo aqui foi identificar tecnologias já disponíveis no mercado que poderiam se adequar às demandas e desafios específicos daqueles que protegem e servem nossas comunidades. Estamos bastante encorajados pelo trabalho já realizado e ansiosos pelo que podemos alcançar no horizonte.”

Related image

Os recursos para o programa vieram do SCITI Labs, uma colaboração entre o DHS S&T, o Center for Innovative Technology (CIT), a Smart City Works e a TechNexus, iniciada há menos de um ano atrás. Depois de um processo de seleção bastante competitivo, essas foram as 13 empresas selecionadas para o desenvolvimento das primeiras soluções e protótipos:

Sistemas Aéreos não-tripulados:

Busca e descobrimento indoor.

Sensores Prediais:

Aplicações de sensores prediais fixos internos para detecção e alertas situacionais.

SmartHub:

Sensores e comunicação móveis focados nos agentes de campo.

Nos próximos meses, as empresas refinarão e integrarão soluções para melhor atender aos casos de uso, e demonstrar a conectividade de ponta-a-ponta entre essas várias aplicações, sensores, infraestruturas e os agentes de campo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor coloque aqui o seu Nome