O Brasil lançou hoje, a partir do centro espacial de Kourou na Guiana Francesa, seu primeiro satélite geoestacionário para uso civil e militar.

Utilizando o veículo lançador Ariane 5, o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) entrou em órbita por volta das 19:00, horário de Brasília. O SGDC é um projeto liderado pelo Ministério da Defesa e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, e foi desenvolvido pela empresa Francesa Thales Alenia Space em parceria com a Visiona (joint venture formada pela Embraer e a estatal Telebrás).

Banda larga e defesa nacional

O satélite será de uso civil e militar. De um lado, utilizando a banda Ka, possibilitará acesso à conexão em banda larga a todos os locais do País, sem exceção. De outro, a partir da banda X, será possível tramitar informações que envolvem a área de defesa e governamental.

Responsável pelo desenvolvimento da área espacial do País, a Força Aérea Brasileira (FAB) será a responsável pela operação e monitoramento do satélite. Para isso, foi criada uma nova organização militar, o Centro de Operações Espaciais Principal (Cope-P), em Brasília (DF), onde cerca de cem profissionais irão se revezar em três turnos para dar suporte ao funcionamento ininterrupto do satélite. No Cope-P foi instalada a antena responsável por esse contato, que tem 18 metros de altura, 13 metros de diâmetro e pesa 42 toneladas.

O lançamento, que deveria ter acontecido em 21 de março, foi adiado devido à paralisação dos trabalhadores da Guiana Francesa – que começou no dia 20 de março e durou aproximadamente um mês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor coloque aqui o seu Nome